sábado, 17 de junho de 2017

As impressionantes “casas redondas” da China que estão em perigo de extinção



Na região chinesa de Fujian há cerca de 3.000 edifícios residenciais de forma circular, são as chamadas “casas redondas” ou as “tulou”. Mas apenas 46 são reconhecidas como património da Unesco, as maiores ou mais raras. Todas as outras, de menor dimensão ou importância, vão-se deteriorando com os anos, não havendo um plano estatal que ajude à sua conservação. Todas as iniciativas para salvar estes curiosos imóveis, originários do século XII – e nos quais podem chegar a viver cerca de 80 famílias –, são privadas.








Estas construções, que chegam a ter muros com dois metros de grossura e fazem lembrar os coliseus romanos, estão como que fora de moda, havendo cada vez menos pessoas interessadas em viver nestes alojamentos: os habitantes estão a mudar-se para as grandes cidades em busca de melhores condições de vida.
 
Originalmente, estas casas serviam de lar para todos os membros de um mesmo clã. Eram aldeias inteiras que tinham até 800 pessoas que por norma se chamavam “pequenos reinos familiares” ou “pequenas cidades prósperas”. Os seus grossos muros eram usados para proteger a habitação dos bandidos. Atualmente servem de refúgio às famílias rurais e com poucos recursos financeiros.

Sem comentários: